terça-feira, 12 de outubro de 2010

ACERTOS E DESACERTOS-II

          Definitivamente, o que é bom para nosso visinho, nem sempre é bom para nós.
          Vivemos em um País, onde tudo tem que ser copiado. Se o Brasil "quer ser um País independente", tem que aprender a caminhar, com suas próprias pernas. Não é mais adimicível, que vivamos sob o domínio, de outros países.
          Nós é que sabemos   o que é bom ou não, para nosso Brasil.
          O povo brasileiro é totalmente diferente, do povo dos Estados Unidos, por exemplo, pois lá, todos são mais esclarecidos, tem mais direito à educação, saúde, são mais respeitados, enfim, é um "horizonte inigualável".
          O imprecionante nisso tudo, é que copiamos os costumes alheios,  mesmo sabendo que somos mal vistos, lá fora.
          Se queremos mudar o quadro feio, que foi pintado do Brasil, temos que valorizar mais, o que temos aqui.
          Se pensarmos bem, são raras as coisas, que são nossas, por direito.
          O Brasil mesmo mostra-se incapaz, quando copia o modelo das televisões de outros, acrescenta palavras em seu vocabulário, que não são nossas, copia as roupas de artistas internacionais, e por aí se vai.
          Apartir do momento em que tudo aqui for original, seremos um verdadeiro País, capaz de dar exemplo, a quem quer que seja.
          Se o modelo da educação, da saúde, por exemplo, não fosse mera cópia, seríamos muito mais felizes, porque não precisaríamos dormir na fila de um hospital, para garantirmos uma ficha, para sermos atendidos, poderíamos reinvindicar mais, pois seríamos um País, com mais educação.
          Seríamos o Brasil que os brasileiros sonham.
          Nem sempre o que é bom para você, é bom para mim, também.
          As emprersas brasileiras prestam um péssimo serviço, porque não fazem suas próprias leis, aceitam conselhos externos.
          As empresas que se instalam aqui, dão um péssimo exemplo, quando querem mandar no País, que não lhes pertence.
          Mas como sempre, o Brasil é solidário para com essas empresas, de maus procedimentos.
          Nos próximos anos, esperamos que hajam leis mais severas, para com todas as empresas, que escravizam seus colaboradores, e querem mandar no País.
          
         

Nenhum comentário :

Postar um comentário