quinta-feira, 23 de agosto de 2012

SOLTOS QUE OFERECEM PERIGO



 

          Não dá para entendermos como as autoridades tomam certas decisões, mesmo sabendo que as mesmas podem nos prejudicar.
         Geralmente, algumas pessoas cometem certos assassinatos, destroem famílias, arrancam lágrima da população brasileira, e por uma questão de justiça, são presas.
          Para não decepcionar mais a população, a lei resolve colocar atrás das grades, tais assassinos.
          Mas mesmo que esses assassinos sejam presos, não trará a vida de inocentes, de volta.
          Embora a justiça tenha  cumprido seu papel, mas a dor da perda, não se apagará.
          Mais cedo ou mais tarde, por falta de provas suficientes, assim dizem, tais assassinos terminam sendo libertos.
          Infelizmente, ainda existem advogados dispostos a arranjarem provas que inocentem, bandidos.
          Tudo bem. Aqueles que cometem graves delitos são soltos, pois o Brasil resolve dar um voto de confiança, achando que os mesmos, não cometerão os erros de antes.
          Na maioria das vezes, os assassinos são soltos e voltam a cometer, a mesma coisa.
          E aí, a população vive amedrontada, por causa de certos atos impensados, dessa justiça tão injusta.
          Até quando será que o Brasil irá manter, suas "leis de mil novecentos e antigamente?"
          Enquanto as leis de outros Países evoluem, as de nosso País, continuam enferrujadas.
          Não adianta sermos evoluídos de um lado, e do outro, continuarmos mantendo as leis do tempo de Lampião e Maria Bonita(leis velhas).
          Para que a justiça funcione bem , a mesma terá que ser reformada e independente, e que não continue sendo a que está aí, que prende os bandidos hoje, e os solta amanhã.
          Que segurança é essa que mantém os justos, como sendo injustos?
          Conserte-se, Brasil, pois merecemos mais segurança.
          Mais uma vez, muito obrigado por tudo. Fique com Deus.

                                                   

Nenhum comentário :

Postar um comentário